barba

by tv rural

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
01:30
2.
3.
4.
5.
03:11
6.

about

azáfama (2014)

Barba (tv rural, ep 2014) é o resultado audiovisual duma ocupação de três dias de um espaço algures nas redondezas. Cinco canções inéditas num registo condicionado no espaço e no tempo, interpretadas em duas sessões intimistas de ânimos à flor da pele apontando em direcções distintas: uma virada para dentro, para quem compôs e interpreta, e outra para fora, para quem ouve e se deixa levar. Barba (tv rural, ep 2014) é um pequeno disco filmado, sem intenções comerciais, uma ponte entre o passado imberbe e um futuro incerto de uma banda marginal que não se atreve a parar. Crescemos aqui, no seio desta canção, e hoje gozamos de uma barba farta.

credits

released February 10, 2014

.
David Jacinto – voz | guitarra acústica
David Santos – baixo eléctrico | voz
Gonçalo Ferreira – guitarra eléctrica | guitarra acústica | voz
João Pinheiro – bateria | percussões | voz
Vasco Viana – guitarra eléctrica | guitarra acústica | samples | voz

Todas as músicas e letras por tv rural
Produzido por tv rural
Apoio à produção: Fips
Gravado por Tiago de Sousa na Estudantina Recreativa de São Domingos de Rana no dia 14 de Dezembro de 2013
Misturado e masterizado por Tiago de Sousa
Ilustração da capa: Madalena Récio Jacinto
Artwork: David Santos
Design gráfico: David Santos e Dino Récio

Os tv rural agradecem a todos aqueles que de uma forma ou outra contribuíram para que esta barba crescesse: Fips, Tiago de Sousa, Ricardo Oliveira, Manuel Pinheiro, Estudantina Recreativa de São Domingos de Rana, Pedro Amorim, Jota, Luís Taborda, Bé, Dino Récio, Rui Alves, Ricardo Jacinto, Bernardo Barata, Muvuca, Pedro Cruz, Nelson Carvalho, João Paulo Feliciano e Mario Feliciano, OnAir, Filipa Silva, Roca, Vera Neves, Lília Esteves, Mara Récio, famílias Santos, Ferreira, Pinheiro, Viegas Viana e Jacinto, Nadia Henriques, André Costa, Bárbara Magalhães, Rita Osório, Vasco Saltão, Nuno Silva, Leonor Noivo, Inês Pestana, Tiago "Foca" Lopes, Luís Leitão, Ricardo Leitão, Mikkel Solnado, Smiling, Traveling Films.
A todos os amigos que estiveram presentes... e um agradecimento especial ao Jorge Pinheiro pelos anos de estrilho.

www.youtube.com/tvruralmusica
www.facebook.com/tvrural

Espectáculos: MAMUT - www.mamutmusic.com - filipe@mamutmusic.com

Editora: AZÁFAMA - www.facebook.com/azafama

tv rural 2014 – todos os direitos reservados

tags

license

all rights reserved

about

tv rural Portugal

contact / help

Contact tv rural

Streaming and
Download help

Track Name: em menos de meia hora
Era cedo, já manhã e a luz fez-te correr atrás do tempo perdido que o sono te tirou. Nem querias crer que aquilo que acabavas de viver tinha sido em menos de meia hora. Foi então que tomaste a decisão de partir. Querias viver a vida a dormir sem sequer me levares contigo. Aquele era o teu mundo, sem o ruído da razão a moldar-te a percepção. Aceitaste a ilusão e esse teu corpo cedeu agarrado a um tempo marado que o sonho te propôs. Não supunhas é que aquilo que acabavas de viver tinha sido o refugo duma vida inteira. Foi então que suspiraste e acabaste a dizer: “Vivi toda a vida a dormir, nem sei como partilhá-lo contigo”. Aquele era o teu mundo, sem o ruído da razão a moldar-te a percepção. Já só sabias estar bem contigo a dormir.
Track Name: admite que estás de volta
Não quis fazer como tinha visto fazer enquanto crescia. Não quis seguir pelo caminho que lhe foi dado a seguir, aquele mais óbvio. Nesses terrenos trilhados foi sempre por fora ciente que o chão se movia com ele. Já estavas à espera disto. Deixaste-te ir mas vieste dar à costa. Agora admite que estás bem e que é bem estar de volta. Embora ali houvesse quem finasse, lá foi ele. Galgou a rocha à bruta, sem medo, lá foi ele. Nesses terrenos trilhados foi sempre por fora ciente que o chão se movia com ele. Já estavas à espera disto. Deixaste-te ir mas vieste dar à costa. Agora admite que estás bem e que é bem estar de volta. Então vá de vestir calças e dizer com convicção: “Está tudo bem!” Então vá de dar ao braço e puxar com convicção e pensar: “Eu cá tomo conta disto.” Já estavas à espera disto. Deixaste-te ir mas vieste dar à costa. Agora admite que estás bem e que é bem estar de volta.
Track Name: eles deram as mãos
Vidro, gás, água. Amotinam-se multidões que dão tudo o que têm para aguentar tal repressão (era só sangue e lágrimas). E agora mais do que antes, nunca me fez tanto sentido cantar canções de intervenção, basta olhar à volta. Alguma coisa tem de mudar em nós. Se já não falamos entre dentes, então porquê todo este receio de falar do estado da nação? Deixar de estar de fora. Uma sombra passa, alguém acena e já perdi esse teu olhar. Mas olha, não te vás embora, junta-te a mim. Fumo, pedra e multimédia agitam a situação. Há de tudo sobre tudo a incitar à reacção. Eles deram as mãos e mostraram a cara. Gritaram de baixo e provaram que dava. Eles deram as mãos e nós como é? Que é feito da tal revolução? E agora mais do que antes, nunca me fez tanto sentido cantar canções de intervenção. Deixar de estar de fora e não aceitar que a voz se apague pelo cansaço. Isso é que era bom.
Track Name: olha que bem
Olha quem é! Abanca aí e passa-me o pão por favor. Sim, sim, mas deixa-me pensar se vou jantar. Sabes? Não tenho tido estômago para comer o que tens para dizer. Bem, se não te importas é agora que eu vou. Vou com aquilo que sei tentar viver num mundo meu. Ora que bem, aguenta aí e faz-me um café por favor. Sim, sim, mas deixa-me frisar que não vou ficar. Sabes? Não tenho tido estômago para comer o que tens para dizer. Bem, se não te importas é agora que eu vou. Vou com aquilo que sei tratar de viver num mundo meu. Só de pensar naquilo que foi dito e na forma como foi dito. Isto não parece fazer sentido e ainda dizes que nada disto te é sentido. Olha que bem.
Track Name: saio daqui a olhar em frente
Muito mais cedo do que eu pudesse um dia vir a esperar. Muito mais simples do que eu pensasse um dia vir a fazer. Disse adeus, vou bazar daqui. E é por isso que eu te digo adeus e saio daqui a olhar em frente. Foi muito menos do que eu pensei que te viria a dar. E o mais certo é que parta cedo sem sequer te beijar. Digo adeus, vou bazar daqui. Aqui sinto o maxilar preso. É por isso que eu te digo adeus e saio daqui a olhar em frente.